Para uma melhor experiência, altere seu navegador para CHROME, FIREFOX, OPERA ou Internet Explorer.
  • Seja Bem-vindo(a).
7 dicas para não errar!

7 dicas para não errar!


Transferência de embriões em equinos 7 dicas para não errarAo longo do tempo, a área da reprodução equina vem evoluindo dentro da medicina veterinária, permitindo que proprietários e técnicos responsáveis alcancem os mais diversos objetivos. Com essa evolução, técnicas vão surgindo e se aperfeiçoando de modo a garantir o melhoramento genético e uma produção mais segura e eficiente e potros. Por isso, podemos dizer que a transferência de embriões em equinos está entre as principais responsáveis pelo sucesso dos plantéis de alta produtividade.

Assim, para atingir o sucesso em um programa de transferência de embriões em equinos, muitos fatores devem ser levados em conta. Conhecer a técnica correta é fundamental, mas, em alguns casos a inexperiência pode gerar erros de processo. Por isso, saber onde está o erro facilita, e muito, para que na próxima tentativa as chances de sucesso aumentem consideravelmente. 

Então, para ajudar no seu sucesso, separamos 7 dicas para que você possa identificar onde acontecem os erros mais comuns dessa técnica. Confira!

#1 Manejo

Muito antes de aplicar a transferência de embriões em equinos como técnica reprodutiva, é preciso pensar na rotina do animal. Assim, o manejo desses animais afeta, diretamente os resultados que serão obtidos da transferência de embriões. Portanto, é importante que os profissionais ligados às atividades diárias dos animais estejam cientes da melhor maneira de conduzir esses processos e garantir o bem-estar dos equinos. Diante disso, é válido destacar que alimentação e estresse são dois pontos importantes do manejo que devem ser analisados com cuidado.

#2 Protocolo de Sincronização de Estro

O protocolo de sincronização de estro é de extrema importância, mas que, muitas vezes, acaba sendo o ponto chave quando a transferência de embriões em equinos não tem o resultado esperado. Saber em qual fase do ciclo estral os animais estão no momento da utilização na reprodução é crucial para garantir o sucesso da mesma.

#3 Indução da Ovulação

A forma como o médico veterinário faz a indução da ovulação e o dia que isso irá acontecer devem ser cuidadosamente decididos por ele, de acordo com as particularidades de cada animal, principalmente quando pensamos em doadora e receptora. Muitas vezes ocorrem erros nesta etapa por pensar que todos os animais poderão seguir um mesmo padrão.

#4 Tipo de Sêmen

Quando pensamos na transferência de embriões em equinos, o uso do tipo de sêmen inadequado é um erro comum. Por isso, é importante que o médico veterinário tenha conhecimento das diferenças entre os tipos de sêmen que podem ser utilizados na inseminação. Além da diferença devido ao tipo de armazenamento (a fresco, resfriado e congelado), ainda existem as particularidades de cada raça e até mesmo de cada indivíduo da mesma raça. Todos estes detalhes devem ser estudados para não atrapalhar o programa de transferência de embriões.

#5 Condição Corporal

O escore corporal e o estado de saúde dos animais que serão utilizados no programa de transferência de embriões em equinos devem ser cuidadosamente avaliados. Isso é necessário pois, muitas vezes, são utilizados animais inaptos para o procedimento. Assim, mesmo que todo o restante do programa seja realizado da forma correta, ao final os resultados não serão satisfatórios.

#6 Dia do Lavado Uterino

É de extrema importância que todo o programa de transferência de embriões em equinos seja acompanhado por um médico veterinário, pois só este profissional está qualificado para realizar os procedimentos. Isso porque, é ele que possui o conhecimento necessário para identificar o momento correto de se realizar cada etapa. Realizar o lavado uterino um pouco antes, ou um pouco após o tempo adequado pode levar por água abaixo todo o trabalho realizado até então.

#7 Avaliação do Embrião

Após o lavado uterino o embrião deve ser minuciosamente avaliado, sendo que aqueles que apresentarem algum tipo de imperfeição devem ser descartados. Somente embriões totalmente aptos e na fase correta, serão inoculados no útero da receptora. Utilizar embriões que apresentam algum tipo de defeito é um “tiro no pé”.

Viu como alguns detalhes que podem parecer insignificantes ao final do programa de transferência de embriões em equinos podem ser a diferença entre o sucesso e o fracasso na reprodução? Portanto, é importante conhecer as etapas do processo de forma prática, o que garante ao profissional experiência e uma melhor taxa de sucesso no futuro.

Se você, médico veterinário deseja se especializar nessa área e ser destaque em um mercado em constante crescimento, temos pra você uma dica ainda melhor! CONFIRA AQUI!

Fonte: CPT Cursos Presenciais





Revista Veterinária

Topo Play Store
Play Store
>