‘Foi uma fatalidade’, diz cabanha sobre a morte de cavalo de quase R$ 7 milhões

Equador Santa Edwiges, criado em São Lourenço do Sul, no Rio Grande do Sul, morreu por causa de infecção aguda no cólon, um mês após ser vendido em leilão a grupo de 21 investidores.

Cavalo crioulo garanhão
Garanhão reprodutor Equador Santa Edwiges tinha 11 anos.

 

A causa da morte do cavalo crioulo Equador foi uma infecção aguda no cólon, parte central do intestino grosso do animal, segundo informa laudo divulgado na sexta-feira (23) pela cabanha Santa Edwiges, de São Lourenço do Sul, no Sul do Rio Grande do Sul. Um mês antes de morrer, animal havia sido vendido a um grupo de investidores por quase R$ 7 milhões em leilão.

“Hoje sabemos que Equador teve uma infecção aguda no cólon e que seu óbito foi uma fatalidade”, relatou o grupo da cabanha que criava o animal.

Embora o cavalo tenha apresentado desconforto abdominal, o laudo revelou que a doença não era preexistente e que, mesmo tendo passado por atendimento no Hospital Veterinário da Universidade Federal de Pelotas, não foi possível evitar a morte.

Como Equador era reprodutor de diversos cavalos vencedores de premiações relacionadas a competições, a cabanha decidiu disponibilizar, ao grupo de investidores que adquiriu o animal em leilão, a totalidade das palhetas de sêmen de Equador, assim como serviços de alguns garanhões da mesma linhagem.

O cavalo foi obtido por meio da comercialização de 21 cotas de investidores, em leilão realizado no dia 19 de maio, em São Lourenço do Sul. O valor obtido por Equador Santa Edwiges foi de R$ 6,97 milhões. Ele tinha 11 anos de idade.

Leia a nota na íntegra:

Na madrugada desta terça-feira, 20 de junho, Equador de Santa Edwiges veio a falecer no hospital veterinário da Universidade de Pelotas onde estava sendo atendido. O laudo de necropsia levou algum tempo para ser realizado e nesta sexta-feira, 23 de junho, sabemos que Equador teve uma infecção aguda no cólon e que seu óbito foi uma fatalidade. Não era uma doença preexistente e tampouco havia alguma outra ação que pudesse ter evitado este acontecimento.

Foi uma enorme perda para a Santa Edwiges, para seus novos proprietários e para toda a raça crioula. O desempenho de Equador como pai e sua pouca idade nos autorizava a sonhar com um futuro brilhante e sob este ponto de vista sua perda não pode ser reparada. A Santa Edwiges se solidariza com seus clientes neste triste momento e com o intuito de amenizar o prejuízo decorrente desta fatalidade, disponibiliza desde agora ao condomínio de compradores a totalidade das palhetas de sêmen congelado de Equador que possui em sua reserva particular, bem como o serviço de alguns garanhões desta mesma linhagem de sangue.

A Trajano Silva agora após as informações da causa do óbito de Equador de Santa Edwiges lamenta a irreparável perda deste garanhão chefe e se solidariza com todos aqueles que de alguma forma a ele estiveram veiculados afetiva ou comercialmente. Temos certeza que dele virá um substituto à altura e nos colocamos a disposição para todo e qualquer esclarecimento adicional.

Fonte: G1

Responder