Para uma melhor experiência, altere seu navegador para CHROME, FIREFOX, OPERA ou Internet Explorer.

Cavalos Pintados Existiram

Cavalos pintados realmente existiram, revela estudo

cavalos pintados
FOTOGRAFIA: P. CABROL / C. FOR PREHISTORY PECH MERLE

Os cavalos pintados, que estão retratados nas pinturas rupestres em cavernas, não eram uma representação simbólica mas sim o retrato realista da pelagem de vários cavalos.

A investigação, que foi publicada na Proceedings of the National Academy of Sciences, mostra evidências de que estes cavalos com padrões semelhantes a leopardos viveram entre os seres humanos há cerca de 25 mil anos.

Para o efeito, os cientistas analisaram o DNA de fósseis de 31 cavalos com 20 a 22 mil anos, recolhidos em toda a Europa desde a Sibéria à Península Ibérica. Seis desses cavalos tinham no seu DNA uma mutação que torna as pelagens pintadas. Dos restantes 25 fósseis, 18 eram castanhos e 6 eram pretos.

Isto não só prova a existência dos cavalos pintados, como demonstra que eles nem eram raros.

Atualmente existe de fato uma variedade de cavalos com esta característica, mas é resultado da seleção artificial induzida pelos criadores de cavalos.

Por esse motivo e também por falta de evidências científicas até este momento, acreditou-se que as pinturas rupestres que representavam cavalos pintados tinham algum tipo de natureza simbólica, não correspondendo à realidade dos animais daquele tempo.

cavalos-pintas-03
O CAVALO DE PRZEWALSKI (EXEMPLO MAIS À ESQUERDA) É A ÚNICA ESPÉCIE DE CAVALO SELVAGEM RESTANTE E PARENTE DOS CAVALOS DOMESTICADOS

“A arte das cavernas é mais realista do que muitas vezes é sugerido” afirma o co-autor do estudo Arne Ludwig.

No entanto, outros investigadores alertam que apesar dos cavalos com pintas terem de fato existido, como comprova o estudo, isso não significa que as pinturas rupestres que os representam não continuem a ter uma vertente simbólica associada aos mesmos.

Uma das particularidades que aponta nesse sentido, é que essas pintas, por vezes, aparecem fora do corpo do cavalo e à sua volta, pelo que os desenhos, apesar de mostrarem um animal real, não eram em si puramente realistas.

 

 

Deixe o seu comentário


O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo