WeCreativez WhatsApp Support
Tire suas dúvidas sobre anúncios pelo site ou Aplicativo e responderemos diretamente no seu WhatsApp.
Quer ajuda para anunciar?
Para uma melhor experiência, altere seu navegador para CHROME, FIREFOX, OPERA ou Internet Explorer.
  • Seja Bem-vindo(a) ao MeuHaras!
Pai preserva tradição familiar e se torna ídolo de filhos apaixonados por cavalos

Pai preserva tradição familiar e se torna ídolo de filhos apaixonados por cavalos


Pai preserva tradição familiar e se torna ídolo de filhos apaixonados por cavalos
Na sela do Quarto de Milha, Nilson Ribeiro conduz a cultura do Laço Comprido, esporte equestre que passa de geração em geração

18 de agosto de 2019

Na família do competidor e treinador de cavalos, Nilson José Ribeiro – de Mamborê (PR), o Laço Comprido é uma tradição que vem passando de geração em geração. “O meu bisavô laçava e foi um grande incentivador do esporte. Depois vieram o meu avô, o meu pai – fundador do CTG Índio Bandeira –, eu e os meus filhos, Nadine Ribeiro e Nilson Júnior Ribeiro”, relembrou o criador, que iniciou o contato com os cavalos aos 12 anos e começou a competir aos 15, em Vacaria (RS), e de lá para cá não parou mais.

“Na época, quando eu já acompanhava os meus pais nas festas, eram utilizados cavalos de várias raças. Com a evolução do esporte, o cavalo Quarto de Milha passou a se destacar e a ser o animal mais usado nas provas de Laço Comprido, sobretudo pela sua inteligência, docilidade e desenvoltura para trabalhar com o boi. Passaram-se mais de 30 anos. Hoje, divido com a minha esposa, Josvânia Ribeiro, que conheci e casei há 23 anos, a paixão pelo Quarto de Milha e a missão de perpetuar essa tradição familiar”, completou o domador.

Para a filha do casal, Nadine Ribeiro, o cavalo representa união. “Desde que nasci, há 19 anos, participo desse meio. Desde os 4 meses de vida, viajo com os meus pais e irmão. Aos 10 anos, comecei a competir, mas no lombo do cavalo estou desde pequenininha. O cavalo para nós é muito importante, é o símbolo da minha família. Eu fiz até questão de gravar na minha pele. É ele que traz o sustento e que nos une todos os dias, nas viagens de fim de semana e na lida do dia-a-dia”, disse a jovem.

“Um ídolo”, é assim que Nilson é visto pelo filho Nilson Júnior, que começou a participar de provas aos 10 anos de idade. “Me sinto abençoado por tê-lo como pai. Ele é o meu orgulho e o meu maior ídolo. Ele me ensinou a laçar, tocar os cavalos, é o grande responsável pelos títulos que já conquistei e, todo dia, aprendo mais com ele. São pelo menos duas viagens por mês com a nossa tropa e toda a família. No futuro, quero fazer o mesmo com os meus filhos. Quero continuar passando essa tradição”, garantiu Júnior.

Em 2012, a família viveu um momento memorável, na cidade de Campo Grande (MS). “Nilson foi reservado campeão do Potro do Futuro de Laço Comprido e isso nos marcou muito”, relembrou orgulhosa sua esposa Jô, como é carinhosamente chamada. Josvânia não nasceu no meio do cavalo, conheceu Nilson durante uma cavalgada: “Não demorou para eu me apaixonar por ele e pelo universo do Quarto de Milha”, revelou a esposa, que durante as provas se divide entre os trabalhos no acampamento e a torcida na arquibancada.

Família revive emoções no MS

Sete anos após a conquista que marcou toda a família, Nilson retornou à pista do Parque do Peão/CLC, em Campo Grande (MS). Ele participou do 14º Potro do Futuro e 14º Campeonato Nacional de Laço Comprido, realizados de 01 a 04 de agosto pela Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Quarto de Milha (ABQM). Nilson competiu em duas categorias, Aberta e Profissional Light. “Poder passar essa cultura para os meus filhos é motivo de muita satisfação. Além de uma profissão, é um esporte saudável e familiar”, afirmou Nilson.

Fonte: ABQM



Pesquisar




Comentários

Topo Baixar App
Baixar App
>