Para uma melhor experiência, altere seu navegador para CHROME, FIREFOX, OPERA ou Internet Explorer.
  • Seja Bem-vindo(a).
Reprodução Equina: conheça as principais técnicas

Reprodução Equina: conheça as principais técnicas


Reprodução Equina conheça as principais técnicas

Ao longo dos anos, o mercado veterinário tem se voltado para a atuação na reprodução equina. Isso aconteceu, em grande parte, graças aos avanços das tecnologias e do conhecimento científico acerca das biotécnicas reprodutivas em equinos. Nesse sentido, procedimentos de reprodução assistida vem ganhando cada vez mais destaque em criações de alto padrão, fazendo com que a monta natural, aos poucos, venha perdendo espaço.

Neste contexto, podemos destacar algumas técnicas que vem tendo papel de destaque no sucesso, garantindo uma melhor produção de potros geneticamente superiores de forma mais eficiente. Entre elas estão, por exemplo, a Inseminação Artificial e a Transferência de Embriões como métodos de grande abrangência em propriedades referência, e que vem cada vez mais sendo utilizados por criadores de todo o mundo.

De acordo com estimativas, cerca de 95% dos criadores de animais de competições já utilizam pelo menos uma técnica reprodutiva em seu plantel. Quando analisamos o cenário nacional para a Transferência de Embriões em equinos, o Brasil ocupa o terceiro lugar no ranking de utilização mundial. Isso se dá em virtude dos inúmeros benefícios que estes procedimentos vêm proporcionando, gerando animais de grande valor e um melhor controle e planejamento. Confira mais detalhes de cada uma delas a seguir!

Principais técnicas usadas na reprodução equina

Anteriormente, apresentamos duas técnicas que tem destaque e boa aceitação  na área da reprodução equina. Contudo, outras técnicas também devem ser levadas em conta, já que, cada uma corresponde a uma etapa importante do processo reprodutivo. a. Assim, faremos uma breve apresentação de cada uma das principais técnicas utilizadas na reprodução equina. Confira:

Palpação Retal

Talvez a técnica mais tradicional para quem trabalha e estuda reprodução equina, a palpação retal é usada para atendimentos clínicos e avaliações do trato genital dos animais. Por meio dessa técnica, o veterinário é capaz de avaliar condições de órgãos internos e a capacidade reprodutiva uma vez que, para a palpação, o responsável introduz seu braço pelo reto do animal. 

Como este exame requer um maior contato entre veterinário e animal, exige conhecimento profundo do profissional para evitar prejuízos à saúde do animal. Além disso, como este conta apenas com o tato para os diagnósticos, esse conhecimento é fundamental para o reconhecimento correto das estruturas internas dos equinos.

Avaliação reprodutiva

Nesta técnica, é realizado um exame para diagnóstico das condições reprodutivas do animal. Assim, para que eles entrem na rotina de reprodução equina, é preciso realizar uma análise de todas as etapas do processo reprodutivo. 

Primeiramente, é feito o reconhecimento se os animais já se encontram na idade reprodutiva adequada. Essa avaliação é importante pois, a gestação em equinos jovens pode prejudicar o desenvolvimento da égua e, portanto, não é recomendada. Assim, para machos a idade reprodutiva ideal é perto dos 3 anos, enquanto para as fêmeas, ela está entre os 3 e 5 anos.

A medida que os animais estão aptos a entrar nas práticas de manejo reprodutivo, realizar a avaliação reprodutiva de fêmeas e machos permite executar as técnicas de reprodução equina de forma mais eficiente. Isso quer dizer alinhar os objetivos da criação com as condições das matrizes e garanhões disponíveis. Assim, manter uma rotina de avaliação reprodutiva desses animais é importante para o responsável esteja sempre ciente de como se encontram esses animais, suas condições físicas e comportamentais, de forma a manter uma rotina de reprodução equina eficiente.

Transferência de embriões

Com a utilização da transferência de embriões, é possível aumentar a taxa de nascimento de potros geneticamente melhorados, acelerando o melhoramento genético do plantel como um todo. Assim, inserir a TE na rotina da reprodução equina tem um impacto direto na lucratividade da criação.

A técnica consiste, basicamente, de coletar embriões de alto valor genético de uma égua doadora e transferi-lo para a égua receptora, que é a fêmea que seguirá com a gestação. Assim, é possível que uma fêmea que apresenta características de interesse, produza mais de um potro por estação, enquanto ainda exerce suas funções sem a interferência da gestação.

Inseminação artificial

Com a técnica da inseminação artificial, é possível que um garanhão produza um maior número de progênies a partir de um único salto. Isso quer dizer que, com o sêmen coletado do garanhão selecionado, pode ser fecundado em mais de uma célula feminina. Assim, são gerados vários produtos de uma única coleta, aumentando a eficiência reprodutiva do plantel ao mesmo tempo que se preserva o garanhão e as fêmeas.

Além disso, essa técnica apresenta algumas vantagens para o produtor que vão desde a preservação de uma linhagem desejável, redução da transmissão de doenças no plantel até o melhoramento de desempenho do rebanho, facilitação de cruzamento entre raças e, é claro, o aumento da lucratividade. 

Ultrassonografia na reprodução equina

Na reprodução equina, a ultrassonografia entra como técnica aliada de diversos exames necessários para o bom manejo reprodutivo dos animais. Ela oferece ao veterinário as possibilidades de um diagnóstico mais preciso, pouco invasivo e mais moderno. Além disso, com o auxílio da ultrassonografia é possível, por exemplo, realizar o diagnóstico gestacional precoce e a sexagem fetal do embrião.

Foco no melhoramento genético eficiente

Como ficou evidente, existem diversas técnicas que visam melhorar a eficiência reprodutiva dos plantéis de modo que, quando bem aplicadas, além de maior quantidade de produtos podem gerar potros de melhor qualidade genética. Assim, os avanços na reprodução equina permitiram o avanço desse segmento, oferecendo aos criadores maiores possibilidades no que se refere à qualidade genética do plantéis.

Um ponto que merece ressalva na aplicação de tais técnicas reprodutivas é: o papel do profissional é crucial para o sucesso. O veterinário é o responsável por executar as técnicas. Portanto, cabe a ele fazer isso de maneira hábil, para que o bem-estar do animal seja mantido e os objetivos alcançados.

Assim, é importante que o profissional escolhido possua experiência prática e conhecimento profundo antes de executar uma rotina de manejo reprodutivo em equinos. Dessa forma, os resultados são mais assegurados para o criador. Isso porque, a experiência é importante para o veterinário desde a seleção dos animais à utilização de técnicas mais avançadas, como a transferência de embriões, com sucesso. 

Fonte: CBH e SHOP Veterinário





Revista Veterinária

Topo Play Store
Play Store
>